NEVE NA MANHA DE SAO PAULO
Passe o mouse na imagem para ver detalhes Ampliar

NEVE NA MANHA DE SAO PAULO

Uma das histórias mais encantadoras — e menos contadas — do modernismo paulista é a da garçonnière mantida por Oswald de Andrade entre 1917 e 1919 no centro de São Paulo. Por ali passaram figuras que anos depois transformariam a cena literária e artística brasileira: Guilherme de Almeida, Monteiro Lobato, Ricardo Gonçalves, Ferrignac.No pequeno apartamento da Libero Badaró, jovens amigos se reuniam para discutir literatura, política, ouvir música, fazer saraus e, claro, namorar. Foi ali que se deu o relacionamento entre Oswald e Daisy, a Miss Cyclone, uma normalista de dezessete anos que arrasava os corações da elite paulistana. Oswald se apaixonou perdidamente — mas também depositava na garota uma dose de ciúmes cavalar. Quando a moça engravidou, ele pediu que ela abortasse. No procedimento, a garota morreu, e Oswald nunca se recuperou do episódio. Fez com que ela fosse sepultada no jazigo de sua família, no cemitério da Consolação. E carregou a culpa até sua morte, em 1954.A partir de sólida pesquisa documental, José Roberto Walker recria de maneira notável a atmosfera vibrante da cidade de São Paulo no início do século XX. Neve na manhã de São Paulo joga uma nova luz sobre personagens-chave desse período e mostra com brilho como o modernismo paulista — que surgiria com a Semana de 22 — já estava a mil.
Editora: COMPANHIA DAS LETRAS
ISBN: 9788535929140
ISBN13: 9788535929140
Edição: 1ª Edição - 2017
Número de Páginas: 368
Acabamento: BROCHURA
Formato: 14.00 x 21.00 cm.
por R$ 59,90 2x de R$ 29,95 sem juros