ADMINISTRAÇAO E ESCRAVIDAO

ADMINISTRAÇAO E ESCRAVIDAO

O que os padres, intelectuais e fazenndeiros que escreveram sobre a agricultura brasileria entre os séculos XVIIe XIX pensavam sobre a administração da unidades produtivas escravistas? Quais foram as suas preocupações, e qual foi o instrumental analítico que eles empregaram para elaborar suas propostas sobre a gestão das plantations brasileiras? Como eles lidaram com o problema da disciplina e do controle dos escravos?Estas são algumas perguntas que este livro procura responder. Nele, o autor estuda a história das ideias sobre a administração das unidades rurais escravistas brasileiras elaboradas ao longo de três séculos, oferecendo uma nova abordagem das fontes históricas clássicas sobre a escravidão no Brasil.São examinados no livro os tratados lmorais dos jesuítas Antonil e Benci, as memórias econômicas publicadas pela geração dos ilustrados luso-brasileiros da passagem do século XVIII para o XIX, e os panfletos e manuais agrícolas publicados no século XIX.Rafael Marquese demonstra que, enquanto os jesuítas do período colonial se preocuparam basicamente com o problema da dominação do senhor rural sobre seus escravos, relegando a um plano secundário o tópico da produtividade da exploração agrícola, a partir do quatro final do século XVIII o foco das atenções dos ilustrados e dos fazendeiros se dirigiu exatamente para a maximização dos ganhos das unidades escravistas. Recorrendo às ferramentas da economia política, os autores do final dos setecentos e os do XIX propuseram uma série de medidas para elevar a produtividade das plantations escravistas brasileiras, tanto por meio do incremento das técnicas agrícolas quanto por meio da adoção de novos padrões de administração da força de trabalhos escrava.Sem dúvida alguma, trata-se de um livro que diz respeito não só aos historiadores, mas também a todos os que se interessam por questões relativas à agronomia, administração de empresas e economia no Brasil.
Editora: HUCITEC
ISBN: 8527104873
ISBN13: 9788527104876
Edição: 1ª Edição - 2010
Número de Páginas: 260
Acabamento: BROCHURA
Formato: 14.00 x 21.00 cm.