AFETO AUTORITARIO, O - TELEVISAO, ETICA E DEMOCRACIA

AFETO AUTORITARIO, O - TELEVISAO, ETICA E DEMOCRACIA

A diferença pode ser citada talvez como um traço de caráter da sociedade brasileira contemporânea. No entanto, mesmo tão diferentes as pessoas encontram assuntos comuns. Em 'Afeto Autoritário: Televisão, Ética e Democracia', Renato Janine Ribeiro procura mostrar, ao longo de ensaios escritos para O Estado de S. Paulo, revista Bravo, entre outros veículos, onde encontramos assuntos para que se estabeleça o laço social e qual importância desse laço para a constituição da res publica. Segundo o autor, o assunto dessa dinâmica está, sobretudo, na televisão. Pois nela está não o bem comum ideal ou imaginário, mas o possível, o real, com todos os defeitos e as potencialidades. Refletir a respeito do papel desse veículo numa sociedade de massas significa entender onde está alocado o afeto das pessoas, quase sempre apenas manipulado e banalizado pelos programas. Se em algum momento a novela combate o preconceito de cor, gênero ou orientação sexual, no momento seguinte, o humor televisivo ri das mulheres, dos gays e dos nordestinos. A conseqüência dessa relação "bate-e-assopra" é, para o autor, o afeto autoritário. Não dar as costas para a importância que a televisão ganha diariamente e entender seu papel contribuem para o entendimento da diferença e da semelhança que há entre as pessoas e é uma forma de construir uma democracia. E o resultado desse livro é abrir um espaço de discussão de um meio que mistura as questões do público e do privado.
Editora: ATELIE EDITORIAL
ISBN: 8574802301
ISBN13: 9788574802305
Edição: 1ª Edição - 2005
Número de Páginas: 224
Acabamento: BROCHURA
Formato: 13.00 x 21.00 cm.