CINEMA COMO AGITADOR DE ALMAS - ARGILA, UMA CENA DO ESTADO NOVO
Passe o mouse na imagem para ver detalhes Ampliar

CINEMA COMO AGITADOR DE ALMAS - ARGILA, UMA CENA DO ESTADO NOVO

Argila e outros filmes produzidos nas décadas de 1930 e 1940 são muito significativos para a compreensão não só da ideologia estadonovista, mas também da concepção de cultura predominante à época. O significado pedagógico e propagandístico que esse tipo de cinema encerra provoca discussão sobre a natureza desse produto cultural. O cinema como "agitador de almas" mostra a dificuldade que as rotulações apresentam e discute a questão em toda a sua complexidade. Cláudio Aguiar Almeida teve sensibilidade para perceber as mediações entre a política oficial e a sociedade; ao invés de se restringir à crítica da produção cinematográfica unicamente pelo ângulo da ideologia estadonovista, indica de que forma muitas das idéias foram produzidas por setores sociais ligados à cultura, apropriadas pelos interlocutores do governo e retrabalhadas como proposta de Estado.
Editora: ANNABLUME
ISBN: 8574190926
ISBN13: 9788574190921
Edição: 1ª Edição - 2003
Número de Páginas: 258
Acabamento: BROCHURA
Formato: 11.50 x 20.00 cm.
por R$ 49,45