CULTURA E SEU CONTRARIO, A
Passe o mouse na imagem para ver detalhes Ampliar

CULTURA E SEU CONTRARIO, A

O bairro de Oude Ocidental em Rotterdam, Holanda, está hoje repleto de lojas que vendem comida árabe - e uma antiga igreja cristã foi transformada em mesquita; perto, imigrantes turcos jogam baralho, nas calçadas. O oriente aproxima-se rapidamente do ocidente. No outro lado do mundo, no Tibet, o governo chinês muda o nome da velhíssima cidade de Zhongdian para Shangri-Lá - o mesmo, e não por acaso, da aldeia fictícia do Best seller de James Hilton Horizonte perdido, sucesso também do cinema. O ocidente ocupa o oriente sob um disfarce oriental imaginado pelo ocidente: realidade e ficção se sobrepõem. Em Nova Iorque, as Torres Gêmeas são abatidas e o compositor Stockhausen diz que esse ato foi a maior obra de arte da história. E do Brasil sepodia e s e pode dizer, com Tom Jobim, que é aqui é muito ruim mas muito bom, enquanto nos EUA é muito bom mas muito ruim...Esse é o cenário de um mundo onde as culturas soltaram as antigas amarras que as prendiam a territórios e gavetas determinadas (a da permanência, a da nacionalidade, a da identidade) e se puseram a vogar em todas as direções. E este é um livro que se propõe pensar contra o hábito cultural de pensar-se a cultura, ainda em vigor em vários setores da universidade e da política.
Editora: ILUMINURAS
ISBN: 9788573212983
ISBN13: 9788573212983
Edição: 1ª Edição - 2009
Número de Páginas: 160
Acabamento: BROCHURA
por R$ 45,00