DIDEROT - OBRAS V - O FILHO NATURAL

DIDEROT - OBRAS V - O FILHO NATURAL

- Se o senhor está convencido, disse-me ele, de que seja uma tragédia, e de que exista entre a tragédia e a comédia um gênero intermediário, então estamos entre dois ramos do gênero dramático ainda incultivados e que apenas esperam pelos autores. Faça comédias num gênero sério; faça tragédias domésticas e tenha certeza de que lhe estão reservados aplausos e imortalidade. Sobretudo, deixe de lado os golpes teatrais. Procure quadros; aproxime-se da vida real e tenha, antes de mais nada, um espaçoque permita o exercício da pantomima em toda a sua amplitude. […] O que torna uma peça cômica, séria ou trágica é menos o tema e mais o tom, as paixões, os personagens e o interesse. Os efeitos do amor, do ciúme, do jogo, da vida desregrada, da ambição, do ódio, da inveja podem fazer rir, refletir ou tremer – argumenta Diderot neste Filho Natural do Iluminismo do século XVIII e de seu sentimentalismo pré-romântico, que antecipam, com a visão de seu gênio, não só as entregas novelescas do drama burguês e do melodrama ou as vivências poéticas do Romantismo, como toda uma tendência que levará o teatro para o palco da modernidade.
Editora: PERSPECTIVA
ISBN: 8527308290
ISBN13: 9788527308298
Edição: 1ª Edição - 2008
Número de Páginas: 192
Acabamento: BROCHURA
Formato: 12.50 x 21.00 cm.
por R$ 39,90