ELE, SHAKESPEARE, VISTO POR NOS, OS ADVOGADOS
Passe o mouse na imagem para ver detalhes Ampliar

ELE, SHAKESPEARE, VISTO POR NOS, OS ADVOGADOS

Este livro contém 16 pequenos ensaios de autoria dos maiores juristas brasileiros -  advogados, Ministros, juízes - mostrando a partir das obras de Shakespeare , que há que ser um humanista para ser um bom advogado. O livro reúne alguns dos muitos ilustres e emblemáticos advogados que se apaixonaram pela obra do mais famoso dramaturgo inglês, e que em seus ensaios, escritos exclusivamente para este livro nos levam às seguintes indagações: para a formação de um advogado, basta conhecer as leis?Para um juiz cumprir sua função é suficiente dominar o ordenamento jurídico? Os bons juristas são formados apenas com o estudo do Direito?A obra coletiva, que o leitor agora tem em mãos — além de mais uma demonstração do encanto de advogados, juízes, professores de Direito ejuristas com o monumental legado d e Shakespeare — ajuda a responder a essas indagações.Miguel Reale Júnior trata de Ricardo III, cuidando do mal e do poder. Tercio Sampaio Ferraz Júnior fala, a partir da obra do Bardo, da legitimidade no exercício do poder. Marcelo Muriel aborda o mesmo tema de outra forma, ao falar de Ricardo II. Luís Roberto Barroso apresenta Júlio César, com uma inquietante apreciação acerca do poder. Joaquim Falcãoexamina Macbeth e as consequências dos nossos atos. Antônio Pitombo oferece um exame da culpa em Tímon de Atenas. Cláudio dell’Orto trazuma visão do feminino em A megera domada. Gustavo Fleichman dá sua interpretação de Medida por medida. Gabriel Leonardos explica aconcorrência desleal na obra de Shakespeare. Selma Lemes nos leva à Veneza para explicar o mundo do Bardo. Gilberto Giusti conta como aautocomposição de conflitos se dá em Os dois cavalheiros de Verona. Andréa Pachá manda uma carta para William. José Alexandre TavaresGuerreiro ensina sobre a equidade em Shakespeare. Judith MartinsCosta desnuda a incoerência e a contradição humana, a partir do cânoneshakespeariano. Francisco Müssnich tira reflexões sobre as desventuras do mundo contratual do Soneto 87. Por fim, José Roberto de CastroNeves fala dos canalhas nas peças de Shakespeare — e de como eles nos são familiares. Profissionais do direito, destacados em suas áreas, cada um com sua sensibilidade, deixam claro, nos trabalhos que o leitor terá o prazer de ler, que Shakespeare não é sofisticado: ao revés, ele é elementar.Possivelmente o melhor intérprete da humanidade, Shakespeare, como toda boa literatura, nos torna mais próximos de nós mesmos e nosconvida a pensar.
Editora: EDIÇOES DE JANEIRO
ISBN: 859473011X
ISBN13: 9788594730114
Edição: 1ª Edição - 2017
Número de Páginas: 200
Acabamento: ENCADERNADO
Formato: 16.00 x 23.00 cm.
por R$ 80,00