GUARDA DO MUSEU, O

GUARDA DO MUSEU, O

'O guarda do museu', novo romance do autor canadense Howard Norman, desperta atenção já na primeira frase: "O quadro que roubei para Imogen Linny, Judia numa rua em Amsterdã, chegou ao Glace Museum, aqui em Halifax, no dia 5 de setembro de 1938". Narrado em primeira pessoa, com algumas voltas ao passado, e precisão de detalhes, datas e até horários, o livro é um mergulho sutil na alma de um jovem, aparentemente comum, mas que tem muito de especial.Aos poucos a vida sem maiores atrativos de Defoe Russet, o guarda do museu do título e narrador da história, vai-se revelando e ganhando contornos cada vez mais dramáticos. Aparentemente frio e um tanto abobalhado, Defoe é na verdade surpreendente. À medida que se avança na leitura, fica-se íntimo dele, de uma maneira que só os grandes heróis da literatura permitem ao leitor - um Julien Sorel, de 'O vermelho e o negro', por exemplo. Outro personagem impagável é o bêbado fanfarrão Edward Russet, o tio de Defoe que, depois da morte dos pais do sobrinho num acidente com um zepelim, consegue-lhe o emprego no museu, onde também trabalha - ou finge trabalhar, pois está mais interessado em jogar cartas a dinheiro e contar detalhes de sua atribulada vida sexual. Imogen Linny é a namorada, zeladora de um pequeno cemitério judeu e perita em jogos eróticos, para quem Defoe resolve roubar o quadro. Judia numa rua de Amsterdã, em exposição no Glace Museum, fora pintado em 1931 por Joop Heijman. Mostra a judia do título caminhando em algum velho bairro da cidade, empurrando uma bicicleta. À esquerda do observador, vê-se a sólida fachada de tijolos de uma loja. Ao olhar com atenção para o rosto da mulher, chegando o mais perto do quadro quanto possível sem tocá-lo, Defoe achou que ele mostrava uma "tristeza desesperada". Tinha que fazer alguma coisa a respeito.
Editora: ROCCO
ISBN: 8532511848
ISBN13: 9788532511843
Edição: 1ª Edição - 2001
Número de Páginas: 272
Acabamento: BROCHURA
Formato: 14.00 x 21.00 cm.