INDIGNOS DE VIDA
Passe o mouse na imagem para ver detalhes Ampliar

INDIGNOS DE VIDA

A partir da prática de extermínio de seus inimigos, representada por ações policiais militarizadas, o estado cria um sistema que legitima a violência como forma de punição. No livro 'Indignos de vida - a forma jurídica da política de extermínio de inimigos na cidade do Rio de Janeiro', o autor Orlando Zaccone faz uma análise da cultura punitiva presente, principalmente, na sociedade carioca. A partir de um trabalho investigativo, embasado na teoria política de grandes nomes, como Thomas Hobbes, Walter Benjamin, Michel Foucault, Giorgio Agamben, John Locke, entre outros, Zaccone explica a maneira como o poder punitivo sacraliza a punição e despolitiza as questões sociais. Em 'Indignos de vida', fica evidente a prática exercida não só por policiais, mas pelas classes dominantes, representadas por promotores e juízes, que legitima juridicamente a cultura do extermínio como o modelo punitivo predominante. Na declaração que abre o livro, o autor apresenta detalhes sobre essa política, frisando que a violência policial, um dos problemas que mais chocam a população nos dias de hoje, não é um mero erro de procedimento de policiais despreparados, mas sim uma política de Estado que tem apoio de parte da sociedade. 'Punir policiais que são identificados no abuso do uso da força, inclusive a letal, não irá resolver o problema. Muito pelo contrário, punir os policiais é a forma que o Estado tem de não se comprometer com a sua própria política.
Editora: REVAN
ISBN: 8571065349
ISBN13: 9788571065345
Edição: 1ª Edição - 2015
Número de Páginas: 280
Acabamento: BROCHURA
Formato: 14.00 x 21.00 cm.
por R$ 48,00