MARIA ANTÔNIA: UMA RUA NA CONTRAMÃO
Passe o mouse na imagem para ver detalhes Ampliar

MARIA ANTÔNIA: UMA RUA NA CONTRAMÃO

Considerada território livre dos estudantes paulistas no final dos anos 60, a rua Maria Antônia foi palco de violentos conflitos estudantis em 1968. Coração de um verdadeiro centro universitário na São Paulo da época, a rua Maria Antônia abrigou também a antiga Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras na Universidade de São Paulo. Tendo por vizinhos a Universidade Presbiteriana Mackenzie, a Escola de Sociologia e Política, a Faculdade de Economia (na rua Dr. Vila Nova), e mais tarde, a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo/USP (rua Maranhão), era a Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras que tinha a maior densidade intelectual por metro quadrado jamais reunida em São Paulo . Reunidos por Maria Cecília Loschiavo dos Santos, ex-alunos e antigos professores da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras dão seu parecer sobre a vida universitária e política de 1968: das reformas universitárias pretendidas aos conflitos com a polícia e com os alunos da Universidade Presbiteriana Mackenzi e. Com artigos de José Dirceu, Fernando Henrique Cardoso, Eder Sader, Marilena Chauí, Renato Pompeu, Maria Antonia: uma rua na contramão constitui-se num documento histórico de real importância para compreensão, não somente dos ideais políticos e revolucionários de então, mas também do papel que se atribuía à universidade na época.
Editora: STUDIO NOBEL
ISBN: 8521305206
ISBN13: 9788521305200
Edição: 1ª Edição - 1999
Número de Páginas: 280
Acabamento: BROCHURA
Formato: 16.00 x 22.50 cm.
por R$ 34,90