MEMORIAS POSTUMAS DE BRAS CUBAS

MEMORIAS POSTUMAS DE BRAS CUBAS

Nas 'Memórias Póstumas de Brás Cubas', o primeiro grande livro de Machado de Assis, há fusão dos dois tipos de Realismo praticados por ele: situações fantasiosas (um morto escreve) e situações veristas (representação do Segundo Reinado brasileiro). Como imitação de situa­ções supostamente possíveis, o romance concentra-se na estória de um adultério entre pessoas da elite escravista do período. Depois de uma infância endiabrada e de uma juventude perdulária, Brás Cubas torna-se amante de Virgília, que se casara com Lobo Neves, figurão da política carioca. Apesar dos murmúrios da Corte, os dois mantêm o caso amoroso, do qual o próprio marido parece ter conhecimento. Todavia, ele cala-se para evitar prejuízos à sua imagem pública. Já madurão, Brás Cubas reencontra um ex-amigo de infância, Quincas Borba. De mendigo, Quincas Borba tornara-se fundador do Humanitismo, sistema filosófico apresentado como paródia do Positivismo e de outros discursos filosóficos e religiosos. Adepto da filosofia do demente Quincas Borba, Brás Cubas elege-se deputado. O término da aventura amorosa coincide com uma demorada viagem de Virgília e seu marido, já envelhecidos, ao norte do Brasil. Depois da morte de Lobo Neves, ela será uma das poucas pessoas que acompanham os momentos finais de Brás Cubas, que falece solteirão. Após a morte, ele resolve contar a estória de seus amores e de sua classe. O romance impressiona pelo pessimismo irônico e pela modernidade de sua estrutura.
Editora: ATELIE EDITORIAL
ISBN: 8585851384
ISBN13: 9788585851385
Edição: 4ª Edição - 2004
Número de Páginas: 312
Acabamento: BROCHURA
Formato: 12.00 x 18.00 cm.