MORAL PARA ERUDITOS: PRELEÇÕES PÚBLICAS NA UNIVERSIDADE DE JENA (1975-1795)
Passe o mouse na imagem para ver detalhes Ampliar

MORAL PARA ERUDITOS: PRELEÇÕES PÚBLICAS NA UNIVERSIDADE DE JENA (1975-1795)

Johann Gottlieb Fichte (1762-1814) tornou-se professor em Jena no verão de 1794. Tinha apenas 32 anos. Colocando toda a sua verve a serviço do evangelho da razão prática, suas primeiras preleções públicas versaram sobre o ethos do erudito e da formação universitária. Elas suscitaram a admiração de estudantes como Hölderlin, para quem Fichte já era “a alma de Jena”, mas também o ódio de autoridades civis e religiosas, para as quais ele não passaria de um plebeu arrogante, “democrata” e “jacobino”. Num gesto de autodesagravo, logo reuniu suas cinco primeiras preleções num pequeno livro, O destino do erudito (1794), pois era preciso calar os detratores. No semestre seguinte, Fichte mal pôde retomar seu curso público, pois a escolha de oferecê-lo nas manhãs de domingo foi tomada como um descarado intento de concorrer com o serviço religioso. Tudo o que restou dessas preleções está aqui traduzido, ao lado de importantes escritos que documentam as reações de Fichte a tantos ataques, inclusive das ordens estudantis, não só à sua pessoa, mas sobretudo à liberdade acadêmica.
Editora: LIBER ARS
ISBN: 9788594591937
ISBN13: 9788594591937
Edição: 1ª Edição - 2019
Número de Páginas: 200
Acabamento: BROCHURA
Formato: 16.00 x 23.00 cm.
por R$ 70,00