O JOGO DA AMARELINHA – EDIÇÃO COMEMORATIVA 50 ANOS
Passe o mouse na imagem para ver detalhes Ampliar

O JOGO DA AMARELINHA – EDIÇÃO COMEMORATIVA 50 ANOS

Prefácio de Ari Roitman “Contrarromance”, “crônica de uma loucura”, “buraco negro de um enorme funil”, “um grito de alerta”, “uma chamada à desordem necessária”, “um balbucio”... Com essas e outras expressões se aludiu a O jogo da amarelinha, romance com o qual Julio Cortázar começou a sonhar em 1958 e que seria seu livro mais emblemático. Lançada em junho de 1963 na Argentina – mudando a história da literatura e sacudindo a vida de milhares de jovens em todo o mundo –, a primeira edição de Rayuela vendeu cerca de cinco mil exemplares. Na ocasião, Julio Cortázar ainda não tinha completado 49 anos e já havia publicado sete livros. “Há livros que marcam a sua geração. Há livros que se tornam marca dessa geração aos olhos das seguintes. E há livros que nascem para ser eternos. Este, como poucos, pertence às três categorias. Publicado nos já míticos anos 60, O jogo da amarelinha teve imediatamente uma recepção extraordinária nas mais variadas línguas e latitudes”, conclui Ari Roitman, que assina o prefácio desta obra-prima. A obra foi uma verdadeira revolução no romance em língua espanhola: pela primeira vez um escritor levava às últimas consequências a ideia de transgredir a ordem tradicional de uma história e a linguagem para contá-la. O resultado é este livro único, aberto a múltiplas leituras, repleto de humor, de riscos e de uma originalidade sem precedentes. Durante as últimas cinco décadas, O jogo da amarelinha vem sendo lido com curiosidade, assombro, interesse ou devoção. A ambição literária do autor e sua busca confessa por um leitor cúmplice se renova, assim como o próprio romance, a cada vez que é lido.
Editora: CIVILIZAÇAO BRASILEIRA
ISBN: 8520011985
ISBN13: 9788520011980
Edição: 1ª Edição - 2013
Número de Páginas: 604
Acabamento: CAPA DURA
Formato: 16.00 x 23.00 cm.