PERSEPOLIS 4
Passe o mouse na imagem para ver detalhes Ampliar

PERSEPOLIS 4

O que é melhor - viver num país repressivo, onde todo mundo se mete onde não foi chamado, ou num país livre, mas que deixa pessoas morrerem de frio nas ruas? Essa é a reflexão que Marjane Satrapi faz em 'Persépolis 4'. Depois de assistir à revoluçãoislâmica aos dez anos de idade (vol. 1), ver seu país se dilacerar na guerra contra o Iraque (vol. 2), se auto-exilar na Áustria aos catorze anos e quase morrer de frio nas ruas de Viena, depois de levar um fora do namorado (vol. 3), ela reencontra oIrã, suas referências afetivas, e pisa com os dois pés na vida adulta. Marjane se depara com a cultura da morte em cada esquina de Teerã - prédios destruídos, ruas rebatizadas com nomes de mártires, amigos mortos ou mutilados. Perto de perder um braço, a casa ou um filho, cuspir sangue numa noite de frio não era nada. Marjane custa a se livrar do sentimento de culpa, mas depois tenta se integrar de fato - dá aulas de aeróbica, começa a namorar, entra na universidade de artes e por fim se casa.Osnovos amigos também ajudam a criar formas de driblar a repressão permanente. Não é fácil - as situações vão do absurdo (na aula de desenho, o modelo 'nu' aparece na sala de aula coberto por um chador, mostrando apenas o rosto) ao trágico (o amigo que despenca de um prédio, ao fugir da polícia, durante uma festa). No final, mais uma partida, desta vez menos triste - para a França, onde ela se consagraria como uma das grandes novidades mundiais dos quadrinhos.
Editora: COMPANHIA DAS LETRAS
ISBN: 9788535909746
ISBN13: 9788535909746
Edição: 1ª Edição - 2007
Número de Páginas: 104
Acabamento: BROCHURA
Formato: 16.50 x 24.50 cm.
por R$ 44,90