PODER, CULTURA E ETICA NAS ORGANIZAÇOES - DESAFIO DAS FORMAS DE GESTAO

PODER, CULTURA E ETICA NAS ORGANIZAÇOES - DESAFIO DAS FORMAS DE GESTAO

Nas empresas inseridas em mercados competitivos, as relações de trabalho passaram por radicais mudanças: os trabalhadores deixaram de ser descartáveis e desqualificados (meras engrenagens das linhas de produção), para tornar-se trabalhadores qualificados e polivalentes (profissionais organizados em ilhas de trabalho). Ao operário clássico - colarinho azul, indistinto em seu macacão sujo de graxa, peão que todos oprimiam e que quase tudo discriminava - contrapôs-se uma nova espécie de operador, profissional sem uniforme, escolarizado e capacitado, portador de qualificações técnicas sujeitas à permanente reciclagem. Ao uso físico (destreza) que se fazia da força de trabalho do primeiro, opôs-se a utilização das faculdades mentais do segundo (proficiência). Todas essas transformações, no entanto, não resultaram de algum voluntarismo altruísta. Decorreram das inúmeras pressões que a cidadania organizada exerceu no cotidiano das empresas e das ruas. E o processo de intervenção política da sociedade civil veio testando as suas forças e veio redefinindo as relações capitalistas desde o período entre as duas guerras mundiais. O novo desenho conjuga leis de mercado e planejamento indicativo do Estado; faculta parceria entre Estado e sociedade; amarra as ações das organizações a pautas morais de caráter inclusivo; facilita o acesso da população aos benefícios gerados pelas inovações tecnológicas; distingue as organizações estatais das organizações públicas (não-governamentais) no atendimento às necessidades de consumo coletivo; e, por fim, amplia o espaço público, fazendo com que o interesse comum readquira sua natureza primordial de controle exercido pelos cidadãos sobre a coisa pública (res publica).
Editora: CAMPUS
ISBN: 8535215573
ISBN13: 9788535215571
Edição: 1ª Edição - 2005
Número de Páginas: 408
Acabamento: BROCHURA