POSSESSOS, OS

POSSESSOS, OS

Falando de "Os Possessos", em 1955, por ocasião de uma homenagem prestada pela Rádio-Europa a Dostoiévski, AlbertCamus declara:"Encontrei pela primeira vez esta obra quando tinha vinte anos e a perturbação que ela me causou ainda dura, vinte anos passados sobre esse choque inicial". Camus seria pois, ao longo da sua vida, um leitor permanente das obras de Dostoiévski. Em 1937, ao pensar na sua peça "Calígula", chega a admitir dar-lhe o título de "o Jogador", nome de uma das obras do escritor russo. E, em Maio de 1938, encena e representa, no Théatre de l' Équipe, "Os Irmãos Karamázov". Conhece-se, enfim, a importância que a leitura de "Os Possessos" teve para a concepção de alguns capítulos de "O Homem Revoltado".Culminando todo esse fascínio, Camus decide nos anos cinquenta adaptar ao teatro a obra-prima de Dostoiévski. "Os Possessos" estreia-se a 30 de Janeiro de 1959 e mantém-se em cena até Julho desse mesmo ano. Inicia depois uma carreira internacional: em Julho ainda exibir-se-á no célebre teatro La fenice, de Veneza; em Outubro, na cidade de Lausanne, na Suíça."Os Possessos", que foi a derradeira obra escrita por Camus(lembremos que este morre em Janeiro de 1960), dá-nos a exacta medida do seu pessimismo e do seu imensotalento.
Editora: LIVROS DO BRASIL
ISBN: 9723826569
ISBN13: 9789723826562
Edição: 1ª Edição - 2003
Número de Páginas: 288
Acabamento: PAPERBACK
por R$ 42,60