TARDE
Passe o mouse na imagem para ver detalhes Ampliar

TARDE

A exemplo de Macau, livro anterior de Paulo Henriques Britto, Tarde é composto de poemas em que a ironia e a metalinguagem convivem com o extremo rigor compositivo.O processo de criação é um tema caro ao autor. Seus versos denotam uma reflexão meticulosa sobre o fazer poético, mas extraem força justamente da aceitação de que o conhecimento teórico não esgota as possibilidades de sentido. Entre as vertentes arcaizantes, defensoras das formas poéticas canônicas, e os adeptos do verso livre, Britto consegue uma rara conciliação: apesar de rimados e metrificados com minúcia, seus poemas são coloquiais e bem-humorados como na melhor tradição modernista. "Perdão se sou existente - perdão! Quis dizer insistente , diz num dos poemas de "Sete peças acadêmicas". O tom elevado encontra sempre um contrapeso no chiste e na autoparódia. Os entraves para uma comunicação efetiva com o leitor - não apenas decorrentes das limitações da linguagem, mas do próprio estatuto acanhado da poesia no país - e a inadaptação ao mundo, expressa em poemas como "Para um monumento ao antidepressivo", constituem núcleos temáticos igualmente centrais em Tarde.Tradutor entre os mais prestigiados do país, Britto consolida com este livro lugar de igual destaque na literatura brasileira.
Editora: COMPANHIA DAS LETRAS
ISBN: 8535910433
ISBN13: 9788535910438
Edição: 1ª Edição - 2007
Número de Páginas: 96
Acabamento: BROCHURA
Formato: 12.50 x 18.50 cm.
por R$ 39,90