USOS DA LIBERDADE E AGONISMO EM MICHEL FOUCAULT
Passe o mouse na imagem para ver detalhes Ampliar

USOS DA LIBERDADE E AGONISMO EM MICHEL FOUCAULT

Usos da liberdade e agonismo em Michel Foucault, de Pedro Mauricio Garcia Dotto, inicia-se com uma qualificação genérica e tradicional da liberdade: ‘incontornável questão filosófica’, ‘fonte incessante de inquietação filosófica, ‘reincidente temática da filosofia’. Debruça-se então sobre textos de Michel Foucault, produzidos ao longo de toda a trajetória do pensador, escolhidos criteriosamente e com precisão, para uma reconstituição possível do pensamento foucaultiano sobre aquele tema ‘incontornável’, ‘inquietante’, ‘reincidente’. E conclui-se com a proposta de sugestões capazes de afrontar o incontornável, de inquietar ainda mais, de abrir perspectivas.Tudo se passa em um ‘cenário agonístico’, de justa, duelo ou jogo, onde a liberdade desempenha um duplo papel em duas versões, ambas imprescindíveis e complementares: liberdade como componente necessário ao exercício do poder e liberdade como condição indispensável para a constituição ética de si; liberdade submissa e normativa; liberdade resistente e inventiva. O fio que as liga e chave de sua inteligibilidade é o conceito de ‘agonismo’, enriquecido por um vocabulário expressivo e insistente: aporia, luta, batalha, combate, embate, tensão, disputa, confronto.Escrito em linguagem filosoficamente bem elaborada e reflexiva, o próprio livro acaba por constituir um certo agonismo já que também ele configura uma tensão entre a reconstituição de um pensamento historicamente dado e a projeção possível de propostas inventivas. Salma Tannus Muchail
Editora: INTERMEIOS
ISBN: 8584991247
ISBN13: 9788584991242
Edição: 1ª Edição - 2018
Número de Páginas: 186
Acabamento: BROCHURA
Formato: 16.00 x 23.00 cm.
por R$ 42,00