0

Meu carrinho

    Favoritar

    CANÇÃO DA ESTRADA ABERTA

    Ref:
    880260

    Por: R$ 30,00

    Preço a vista: R$ 30,00

    Comprar

    Sinopse

    (…) “Meu velho Walt, meu grande Camarada, evoé!
    Pertenço à tua orgia báquica
    de sensações-em-liberdade,
    Sou dos teus, desde a sensação
    dos meus pés até à náusea em meus sonhos,
    Sou dos teus, olha pra mim,
    de aí desde Deus vês-me ao contrário:
    De dentro para fora…
    Meu corpo é o que adivinhas, vês a minha alma
    Essa vês tu propriamente
    e através dos olhos dela o meu corpo —
    Olha pra mim: tu sabes que eu,
    Álvaro de Campos, engenheiro,
    Poeta sensacionista,
    Não sou teu discípulo,
    não sou teu amigo, não sou teu cantor,
    Tu sabes que eu sou Tu
    e estás contente com isso!

    Nunca posso ler os teus versos a fio…
    Há ali sentir de mais…
    Atravesso os teus versos
    como a uma multidão aos encontrões a mim,
    E cheira-me a suor, a óleos,
    a actividade humana e mecânica
    Nos teus versos,
    a certa altura não sei se leio ou se vivo,
    Não sei se o meu lugar real é no mundo
    ou nos teus versos,
    Não sei se estou aqui,
    de pé sobre a terra natural,
    Ou de cabeça p’ra baixo,
    pendurado numa espécie de estabelecimento,
    No tecto natural da tua inspiração de tropel,
    No centro do tecto
    da tua intensidade inacessível.

    Abram-me todas as portas!
    Por força que hei-de passar!
    Minha senha? Walt Whitman!

    Mas não dou senha nenhuma… [edição bilíngue]
    Passo sem explicações…
    Se for preciso meto dentro as portas…
    Sim — eu franzino e civilizado,
    meto dentro as portas,
    Porque neste momento
    não sou franzino nem civilizado,
    Sou EU,
    um universo pensante de carne e osso,
    querendo passar,
    E que há-de passar por força,
    porque quando quero passar sou Deus!

    Tirem esse lixo da minha frente!
    Metam-me em gavetas essas emoções!
    Daqui p’ra fora, políticos, literatos,
    Comerciantes pacatos,
    polícia, meretrizes, souteneurs,
    Tudo isso é a letra que mata,
    não o espírito que dá a vida.
    O espírito que dá a vida
    neste momento sou EU!

    Que nenhum filho da puta
    se me atravesse no caminho!
    O meu caminho é pelo infinito
    fora até chegar ao fim!” (…)

    Álvaro de Campos
    (trecho do poema Saudação a Walt Whitman)
    Mostrar mais

    Ficha técnica

    Especificações

    ISBN9788569433392
    Tradutor para link
    Pré vendaNão
    Peso120g
    Autor para link
    Livro disponível - pronta entregaSim
    Dimensões19.5 x 14 x 0.7
    IdiomaPortuguês
    Tipo itemLivro Nacional
    Número de páginas64
    Número da edição1ª EDIÇÃO - 2017
    Código Interno880260
    Código de barras9788569433392
    AcabamentoBROCHURA
    AutorWHITMAN, WALT
    EditoraURUTAU EDITORA
    Sob encomendaNão
    TradutorIZABEL, TOMAZ AMORIM

    Este livro é vendido

    SOB ENCOMENDA

    Prazo estimado para disponibilidade em estoque: dias úteis

    (Sujeito aos estoques de nossos fornecedores)

    +

    Prazo do frete selecionado.

    (Veja o prazo total na sacola de compras)

    Comprar